Alimentos e enxaqueca

unnamed

Enxaqueca é causada por uma combinação de vasodilatação (alargamento dos vasos sanguíneos) e a liberação de produtos químicos de fibras nervosas que bobina ao redor dos vasos sanguíneos. Alguns alimentos possuem produto químicos que através de diferentes mecanismos podem provocar esta reação. Estudos mostram que até 60% das enxaquecas podem ter causas alimentares. Alguns componentes dos alimentos podem desencadear crises de enxaqueca em indivíduos sensíveis.

A lactose, açúcar natural do leite e presente em quase todos  seus derivados, provoca intolerância em alguns indivíduos.

A enxaqueca pode ser também provocada por ingesta de frutas cítricas, que possuem octopamina, uma substância que pode causar dor de cabeça em pessoas sensíveis.

Outras substâncias envolvidas na enxaqueca são aditivos alimentares ou naturais presentes nos alimentos:

Nitratos presentes  nos embutidos como salsichas, salame, presunto. Também, medicamentos cardíacos com nitratos podem causar dores de cabeça severas.

Estas dores induzidas por nitratos normalmente se manifestam como relativamente leves e imediatas, desenvolvendo-se uma hora após a ingestão; ou mais grave e tardias que ocorre de 3 a 6 horas depois.

De acordo com estudos dores imediatas estão ligadas à vasodilatação mediado pelo óxido nítrico; já astardias semelhantes às enxaquecas desencadeadas por alimentos, stress ou outros fatores, parecem ser ativadas pela liberação de um peptídeo relacionado ao gene da calcitonina.

O ácido benzoico, um composto aromático usado como conservante de alimentos e  que ocorre naturalmente em certas plantas. É utilizado em geleias, frutas desidratadas, margarinas.

A Tartrazina, corante amarelo usado em balas e xaropes.

Glutamato monossódico (presente em muitos produtos industrializados) GMS é composto de 78% de ácido glutâmico livre, 21% de sódio e até 1% de contaminantes. De acordo com pesquisas, ele pode ser classificado como uma excito-toxina, com efeitos como dores de cabeça, aceleração dos batimentos cardíacos, dores no peito, dormência ou formigamento no rosto e pescoço, asma, palpitações e sudorese.

Aspartame adoçante, quando metabolizado, libera metanol, um álcool toxico.

O metabissulfito, usado como conservante é algumas vezes identificado como E223. Como aditivo, pode causar reações alérgicas, particularmente irritação de pele  ou  eczema; irritação gástrica e asma. Não é recomendado para o consumo por crianças. Está presente em geleias e em barras de doces,

Aminas vasoativas como a feniletilamina (encontrada no chocolate ou álcool), com ação sobre  calibre dos vasos sanguíneos e a tiramina, encontrada em bebidas e alimentos fermentados, como queijo e vinho. Os alimentos contendo tiramina são responsáveis por 15% dos casos de enxaqueca, portanto, indivíduos com enxaqueca devem evitar o seu consumo caso tenham observado piora dos seus sintomas quando ingerem queijos envelhecidos, banana, ameixa vermelha, abacate, berinjela, tomate, vinagre, bebidas fermentadas como a cerveja, o vinho e a champanhe.  Identificando a causa alimentar pode-se experimentar uma completa melhora do quadro sem  apenas uso de medicação.