Café faz bem?

Pesquisas revelam que o café verde funciona nas células humanas de várias maneiras diferentes. Em relação ao controle de peso foi constatado que reduz a absorção de glicose para a corrente sanguínea, aumenta a adiponectina (hormônio secretado no tecido gorduroso e que regula a queima de gorduras) e, como o chá verde e a canela, impede que a enzima G-6-P do fígado despeje a glicose recentemente produzida na corrente sanguínea.

Os benefícios do café preto torrado são menores, pois ele perde o ácido clorogênico, composto químico natural produzido pelo ácido cafeico e pelo ácido quínico, presentes nos grãos de café verde, mas que se perdem na torrefação.

O café verde e também o torrado contém muitos fitoquímicos e antioxidantes benéficos. Vários estudos sugerem que as pessoas que bebem café têm um menor risco de doença de Alzheimer e demência e pode ter uma ação benéfica sobre a memória. Também pode reduzir o risco de Parkinson. Estes benefícios podem ser devido aos efeitos antioxidantes, uma vez que estas condições parecem ser impulsionadas por danos oxidativos no cérebro.

O consumo de café pode exercer um papel protetor contra a esclerose múltipla, colangite esclerosante primária e colite ulcerativa. Em relação a outras doenças autoimunes tais como lúpus eritematoso sistémico, psoríase, colangite biliar primária e doença de Crohn, não foi encontrada associação significativa. Em outros estudos, o consumo de café levou a uma diminuição da sensibilidade à insulina no tratamento do diabetes, na eficácia do metotrexato na Artrite Reumatoide e na absorção de levotiroxina na doença de Hashimoto. Além disso, o consumo de café foi associado com reatividade cruzada com anticorpos de gliadina em pacientes celíacos. Ou seja, pode aumentar a sensibilidade ao glúten em alguns pacientes. Outros estudos mostram seu efeito positivo na prevenção de doença cardiovascular e morte súbita.

Os flavonoides café (incluindo os ácidos clorogênico e caffeico) podem ser úteis no tratamento do sobrepeso porque eles parecem diminuir a vontade de comer e tem ação sobre a redução da  gordura corporal. Também foi descoberto que as pessoas que bebem mais café podem ter um menor risco de diabetes tipo 2.

Muitos dos estudos sugerem que os benefícios podem estar ligados à quantidade de café consumido. Consumido em excesso (mais de 3-4 xícaras de expresso por dia), pode haver um risco maior de aborto espontâneo e de morte fetal, sono interrompido e possivelmente hipertensão.

Algumas pessoas tem metabolismo mais lento para a cafeína. Essas pessoas são mais sensíveis ao consumo de café e podem perder o sono ou ficarem mais nervosas ou agitadas com pouca quantidade.

Em nenhuma hipótese é aconselhável usar o café rotineiramente para substituir refeições saudáveis ou para compensar a falta de sono .

Para as pessoas sensíveis  à cafeína ou metabolizadores lentos, as variedades orgânicas descafeinadas ou suplementos dos extratos de polifenóis seriam uma melhor opção.

Filtre por Categoria

Veja Também!